.

domingo, 28 de março de 2010

"Sempre precisei de um pouco de atenção..."

Hoje cedo, a MTV estava reprisando o Acústico do Legião, em homenagem aos 50 anos do nascimento do Renato Russo. E ao ouvir aquelas músicas, os comentários do Renato, o violão do Dado, eu fui levada de volta à minha pré-adolescência... Sem dúvida, o "Acústico MTV - Legião Urbana" foi, junto com o "Arquivo" dos Paralamas do Sucesso, o álbum que mais marcou essa fase tão boa da minha vida, em que eu já tava cansada de ser criança mas ainda era muito nova pra ser qualquer coisa diferente disso, rs

E tal época ainda é recente pra mim, remonta aos anos de 2005/2006. Eu e meus 13 aninhos, já me sentia pronta pra dominar o mundo. Era uma entre as inúmeras pré-adolescentes roqueirinhas do Mundo Mágico de Campo Grande, daquelas que até hoje, procurando bem, é possível encontrar por aí: All Star, calça jeans velha, camiseta preta quase sempre com o nome de alguma banda estampada na frente, maquiagem escura (lápis de olho nessa idade era tão essencial quanto oxigênio ou água potável), uma ou outra tinha o cabelo pintado de vermelho, ou colorido com papel crepom que, quando desbotava, ficava com uma cor de palha de milho que chegava a dar dó. É, eu era assim. Éramos assim. E não éramos as únicas.

Naquela época não existia Twitter e o Orkut não permitia a postagem de mais de 12 fotos, o que era suficiente porque quase ninguém tinha câmera digital pra tirar centenas de fotos, ou Banda Larga pra postá-las... E vivíamos muito bem sem isso. A única coisa sem a qual não vivíamos era música. Aah, o Acústico do Legião... Eu não tinha nem 6 anos quando ele foi lançado, mas aos 13, 14 eu sabia de cor praticamente todas as músicas, escrevia trechos de "Índios" nas carteiras do colégio, e o mais importante, cantava "Faroeste Caboclo" inteira de uma vez só, sem errar uma sílaba, rs.

Claro que havia outras bandas, outras referências, mas Legião Urbana se destacava por ser atemporal. Daqui a 10 anos, se ainda existirem pré-adolescentes como as descritas acima, elas ouvirão Legião, e tomara que elas existam. E o Acústico difere de todos os álbuns pelo clima intimista em que foi gravado, com o Renato super à vontade, e principalmente por ser o que mais se aproxima da realidade dos fãs de Legião, independente se estes admiram a banda antes, durante ou depois da adolescência. Afinal, é a banda mais tocada nas rodinhas de violão espalhadas pelo país, e no Reino Encantado Campograndense não era diferente, sempre que havia alguém munido de violão, voz e companhia no QD, era só esperar que logo saía "Eu Sei", "Meninos e Meninas", "Será", a minha preferida "Teatro dos Vampiros", ou qualquer outra. Aliás, o QD era uma espécie de templo sagrado para os aspirantes a Rockstar de Campo Grande. Era o lugar em que os tipos mais variados (leia-se bizarros) de gente se encontrava: desde roqueiros-malucos-satânicos-drogados-comedores de lixo, até emuxos-fofuxos-de-mal-com-o-mundo, passando por nós, pré-adolescentes que pensavam que eram "Courtney Loves" mas que não chegavam nem a "Avril Lavignes". Na verdade, não passava de uns gramados com
alguns bancos em frente a uma igreja, e pra muitos pais ouvir a frase "seu filho estava no QD" era como ouvir "Seu filho estava usando drogas e se prostituindo". O lugar perfeito pra um bando de malucos que tinham todo o tempo do mundo se juntar e cantar que não tinham tempo a perder...

E de fato, não tínhamos. Afinal, éramos e ainda somos tão jovens...

De lá pra cá, muita coisa mudou. Minhas roupas agora estão mais coloridas, tenho mais de uma calça jeans, e agora uso sandália, rs. Perdi o contato com muita gente que viveu essa fase comigo, mas os poucos com quem eu ainda falo também mudaram, cresceram, criaram juízo. Um ou outro ainda volta no QD de vez em quando, mas já não é a mesma coisa. Até porque bom mesmo era naquela época, hoje em dia a tal pré-adolescência tá chegando cada vez mais cedo, meninas de 11 anos tem 150 fotos no orkut e não sabem sequer quem foi Renato Manfredini Junior.

Daquela idade, ainda guardo três coisas: a velha calça jeans, o All Star e - percebi isso hoje revendo o Acústico - a emoção ao ouvir "Teatro Dos Vampiros".

video

quinta-feira, 25 de março de 2010

Pequena Universitária

Há pouco mais de 2 semanas, a outrora desocupada autora desse blog entrou pro seleto grupo de brasileiros que frequentam o ensino superior. Agora passo parte das minhas noites a perambular pelo 11º andar da UERJ, assistindo a aulas de Linguística I, Teoria Literária I, Língua Portuguesa I, Cultura Brasileira I, entre outras matérias que compõem o currículo do 1º período de Português/Literatura.

"Ah, Gabi, mas você é tão inteligente, por que escolheu Letras?"

Essa sem dúvida é a pergunta a que eu mais tenho respondido ultimamente. Escolhi Letras por gostar de Português, ora.
Por gostar de Literatura, por ter paixão pelas palavras e querer conhecer mais sobre elas... Se todos aqueles tidos como "inteligentes" fossem médicos, advogados ou engenheiros, a humanidade não teria sido presenteada com obras-primas como "Dom Quixote","Memórias
Póstumas de Brás Cubas", etc. (Não, meninas, "Crepúsculo" não entra na lista não, tá? Malz ;D )

"Mas o que você pretende com Letras, ser professora?"

Exatamente. "Que triste isso", você pensa, "as ambições delas são proporcionais à altura". Creio que não. Já fui vista como ingênua inúmeras vezes por isso, mas eu acredito na educação. Acho que é algo valioso, que deveria ser feito com amor e dedidação, mas que infelizmente não é nem um pouco reconhecido no país em que vivemos. Uma pena, porque uma sociedade que não se preocupa com as condições de trabalho de um professor, acaba contribuindo para a queda na qualidade do ensino. E o resultado é o que se vê hoje: de um lado, profissionais mal remunerados, estressados e sem o devido reconhecimento da importância de sua função; do outro, a criança ou o jovem desmotivado, sem perspectivas, que acaba abandonando a escola antes de completar sua formação.

Diante desse quadro, percebo a importância da minha escolha. Lecionar, poder contribuir pra formação intelectual e moral de um indivíduo é, sem dúvidas, uma maneira interessante de mudar o que está errado, de fazer história na vida de alguém.


"E a UERJ, tá gostando?"

Até o momento, sim. Tirando um probleminha aqui, outro ali (hoje mesmo eu fui pra lá e dei com a cara na porta, as aulas do turno da noite foram suspensas por falta de energia elétrica ¬¬ ), até que eu tô gostando bastante. Como boa caloura, voltei pra casa toda suja de tinta nos primeiros dias, tive que andar de
elefantinho, participar de brincadeiras. Sinto que em breve irei à falência graças à quantidade de xerox que eu tenho que tirar todos os dias, e que não conseguirei ler tudo que tenho pra ler até o fim do semestre. Tenho professores legais, veteranos legais, colegas legais, e alguns na versão chata também.


Agora, é fato que aulas e trabalhos ocuparão boa parte dos meus dias daqui pra frente. Por isso, talvez num futuro próximo eu fique meio sem tempo de postar aqui as bobagens que
vocês tanto amam [/ilusão
Mas prometo não parar de postar, até porque já me apeguei a esse verde-e-cinza do blog, acho tão bonitinho... *-*


P.S: A Pequena agora tá exibindo toda sua genialidade no Twitter! A quem interessar possa, @pequenaegenial. Follow me os bons! ;)

quarta-feira, 24 de março de 2010

"Pela simples noção..."

"... de que é uma dádiva estar vivo, que os caminhos são lindos e é necessário caminhar!"


Quando você olhar pro alto, e só ver nuvens escuras,
Olhar pra frente, e só ver obstáculos,
Olhar pros lados, e só ver a solidão,
Olhar pra trás e se perguntar se todo o caminho percorrido valeu a pena,
Olhar pra todo canto procurando uma solução, e só ver mais problemas...

Feche os olhos, e olhe pra dentro de si.
Perceba o quão pequeno você é diante da vastidão do Universo,
Tão pequeno e tão indispensável para o equilíbrio deste.

Perceba que as coisas mais importantes da vida são as que você não consegue ver,
E que boas energias estão sempre por perto, basta saber atraí-las.

E quando você for capaz de perceber tudo isso,
Capaz de olhar ao redor e ver beleza em tudo que existe,
Em tudo que sempre foi visto mas nunca notado,
Beleza em tudo que vive...

Você vai começar a ver o mundo com outros olhos. :)



P.S: Feito especialmente pra Camila, que é uma das pessoas mais especiais que já caminhou sobre a Terra, mas que ultimamente parece ter esquecido do quanto é amada por muita gente. Ânimo, gata!

P.S [2]: Nãão, isso não é uma poesia. Nem se aproxima de um texto poético. Poetas (os verdadeiros) são seres tão talentosos, dotados de tamanha capacidade de criação, que eu jamais tentaria fazer algo parecido com o que eles faziam/fazem. Essas linhas tortas aí de cima mais parece um daqueles textos que o Bial lê antes de eliminar alguém do Big Brother, só faltou um "Vem pra cá, fulano!" no final.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Meninices: Secrets Collection, O Boticário.

Eu podia falar sobre tanta coisa, sobre os pênaltis perdidos do Dodô, sobre minha primeira semana na universidade, divisão dos royalties do petróleo, ou sei lá, Big Brother. Mas hoje meu lado menininha tá falando muito alto, desde cedo. Quem me conhece sabe que normalmente eu não sou de muitas frescurinhas, muita meninice. E sabe também que, apesar disso, existe dentro de mim uma face meio Material Girl que eventualmente se manifesta... E hoje ela deu o ar da graça, rs.

Acho que isso tem a v
er com a minha ida à loja dO Boticário hoje cedo... Fui comprar um presente lá, e assim que entrei bati o olho nos perfumes da nova coleção, "Secrets Collection". De fato, as fragâncias foram lançadas no final de fevereiro, e o make tava previsto pra chegar às lojas dia 22 de março... "Tá tão pertinho, quem sabe já não lançou?", penso eu. Doce ilusão, olho, olho e nada.

No final do mês passado rolou um evento em São Paulo pro lançamento dessa linha de maquiagem, com a participação de algumas blogueiras. E as meninas, lógico, registraram tudo que rolou por lá... Foi aí que eu apaixonei, praticamente à primeira vista. Passeando pelos blogs, tudo que eu via eram fotos e mais fotos, uma mais linda que a outra...

Toda a coleção foi inspirada no
Bourdoir, que era um espaço em que as mulheres da corte francesa do século X
VIII se reuniam pra retocar a maquiagem, fazer penteados e conversar, e onde a presença masculina era proibida. (Qualquer semelhança com os atuais banheiros femininos é mera coincidência, rs). Daí vieram as referências bem femininas nas embalagens, decoradas com tule, rendas e laços, tudo nas cores preto e rosa. O rosa, aliás, é a cor que predomina na linha, que foi toda desenvolvida pelo Torquatto.

Claro que, falando de make do Boticário, não dá pra esperar precinho camarada. A paleta linda-luxo-objeto de desejo tá saindo pela bagatela de R$130,00, o pó iluminador R$ 66,90 (detalhe, o iluminador vem com um pincel rosa acoplado, com cheiro de baunilha. Tá bom ou quer mais?), e o batom, R$ 29,90. Isso só pra citar os que eu mais gostei, entre todos os 18 itens de make.



Ééé, melhor alguém aqui arrumar logo um emprego, se não quiser passar o resto da vida comprando maquiagem na revista da
Abelha Rainha...
=/


*Geente, é edição limitada, quem quiser me dar a paleta de presente de aniversário tem que correr antes que acabe, ok? ;)


terça-feira, 9 de março de 2010

Português ou Brasileiro?

Vivemos no Brasil, terra de contrastes, de diferenças, de paz-carnaval-futebol, e de dimensões continentais. São 8,51 km² de área, o equivalente a 47% do território da América do Sul e à 5ª maior área territorial do planeta, de acordo com eles. Além disso, é o único país das Américas que tem o Português como língua oficial, e é sobre isso que falaremos hoje (tá, só eu vou falar, mas gosto de pensar que não estou sozinha nessa e que alguém um dia vai ler isso aqui).

Num lugar tão grande como o descrito acima, é muita ingenuidade achar que todo mundo vai falar de um jeito só. Afinal, uma das mais fortes afirmações da cultura regional aqui no Brasil é, na minha opinião, o sotaque de cada lugar. Tem gente que se irrita quando ouve um "uai", há quem ache um "oxente" a coisa mais fofa do mundo, e eu mesma já ouvi críticas e elogios ao meu "carioquêxx". Gostando ou não, não há como negar a beleza que existe em observar a língua portuguesa sendo falada de tantas maneiras diferentes, em cada canto desse nosso vasto território. Às vezes, uma mesma palavra adquire significados diferentes, de acordo com as coordenadas geográficas de onde ela for usada. Se você chegar aqui no Rio, por exemplo, e pedir uma "bolacha", tá arriscado a levar um tapão muito bem dado no meio da cara, primeiro porque "bolacha" também pode significar "bofetada", segundo pra aprender que aqui no Rio a gente pede é "biscoito", e terceiro porque pedir bolacha é coisa de paulis... Bem, porque aqui se fala biscoito e pronto.


Agora, pensa comigo: se aqui dentro do Brasil já existe essa diferença enorme entre o Português falado, imagina entre todos os países lusófonos do mundo. Sim, não somos os únicos a ter a honra de aprender orações subordinadas no colégio, ou a ter a alegria de conjugar verbos em 6 pessoas, 11 tempos e 3 modos. O Português é a única língua oficial de 7 países, uma das oficiais de mais 3, e muito falada porém não-oficial em mais 4, segundo eles de novo. Apesar disso, existe uma diferença fundamental entre o Português usado aqui e o que é usado nos outros cantos do mundo, tão fundamental que uma das duas variedades de língua portuguesa reconhecidas internacionalmente chama-se "Português do Brasil", somente. A outra é o "Português Europeu", e é a mesma utilizada nos países africanos.


E as diferenças entre as duas não se restringem só a vocabulário ou pronúncia não, filhão, a escrita é diferente também. Até que se esforçam pra padronizar, de tempos em tempos surge algum acordo ortográfico pra tentar aproximar ainda mais as duas variantes, no mais recente tiveram a ideia de eliminar alguns acentos e os portugueses vão ter que se contentar com algumas consoantes mudas a menos (pra eles era óptimo escrever dessa maneira). Mas ainda assim, ainda que seja perfeitamente possível entender e se fazer entender com alguém que fale um Português um tanto "diferente" do nosso, será que todo esse contraste não faria do "Português do Brasil" um idioma a parte? Estaria eu falando com vocês em... Brasileiro?


Fernando Pessoa, em um tempo muito antes do meu, disse:“Cada um tem direito a escrever na ortografia que quiser. Tecnicamente, pode haver tantas ortografias quanto há escritores”. Será que, na prática, isso valeria também para o Português falado? Será que cada falante teria o direito de se expressar da maneira que quisesse? Acho difícil; Se fosse esse o caso, viveríamos em uma verdadeira Torre de Babel, com milhões de maneiras diferentes de se falar a mesma língua. No entanto, as tais variedades existem e estão aí, reconhecidas pelo mundo todo. E uma delas é usada aqui, na fala e na escrita ela é exclusivamente brazuca. Vejo nisso uma aproximação do ideal de Policarpo Quaresma, o personagem patriota do Lima Barreto que desejou que o Tupi-Guarani se tornasse a língua oficial do Brasil. Talvez esse tal de "Brasileiro" que usamos por aqui hoje em dia seja o Tupi do Quaresma, por que não? Um idioma só nosso, que reflete a identidade de seu povo, de maneira diferente em cada canto do país mas ainda assim único em sua essência. Talvez se vivesse hoje, vendo a diversidade étnica e cultural que deu e dá origem ao povo e a língua brasileira, Policarpo Quaresma não teria tido um Triste Fim...


P.S: Pra quem nunca leu, recomendo um milhão de vezes: "Triste Fim de Policarpo Quaresma", de Lima Barreto. Excelente leitura, excelente autor, excelente história. Super vale a pena.

P.S [2]: Jon, foi mal pela empolgação, e valeu pela ideia. Espero ter ajudado e boa sorte com teu trabalho. ♥

quinta-feira, 4 de março de 2010

Ave, Cesar!

Só me dá orgulho esse meu Cielo, viu... Entra ano, sai ano e ele continua sendo o melhor. O cara. Inigualável, incomparável, ímpar. Enfim, mostrou pro mundo todo que continua sendo o Cesar Cielo que a gente conhece.

Hoje ele mostrou que não tá pra brincadeira, e que não precisa de maiô especial coisa nenhuma. Na sua primeira prova do ano, Cesão foi lá, e fez os 50m livre em 22s13 no Gran Prix de Austin, Texas. Ganhou, claro.
E quem diria que nas eliminatórias, disputadas em jardas, Cielo ficou em segundo lugar... Fez 25 jardas em 19s43, atrás de Garrett Weber-Gale, que fez 19s30 e que com um nome desse só podia ser americano. Mas na final, o recordista olímpico, o meu recordista, mostrou a que veio e deixou o americano com o vice, com 22s24. (Caso você queira saber a diferença entre 50 metros e 25 jardas, acho que aqui você encontra.)
E se você pensa que 50 metros em 22s13 é algo absurdo, impossível, eu tenho que dizer que você tá certo. Mas enquanto eu e você não faríamos um tempo desse nem fugindo de tubarão, Cesão mandou um 20s91 ano passado, lembra? Recorde mundial. O dos 100m livre também é dele, 46s91. Com supermaiô? Siiiim, com supermaiô. Mas agora proibiram as roupas especiais (que mais pareciam espaciais Oo), e ele hoje ganhou nadando de sunga, deixando à mostra seus 88kg muitíssimo bem distribuídos em 1,95 de altura ( e a Globo passando Big Brother, ao invés de transmitir uma competição tão... significativa quanto essa!)
2008 foi um ano especial pro Cielo, com o ouro olímpico inédito pro Brasil, e o recorde olímpico nos 50m livre.
2009, então, nem se fala. Recorde mundial nos 50, nos 100, medalha de ouro no Mundial.
E pelo jeito, 2010 promete. Só aguardar e torcer.
Boa sorte, Cesão. <3

segunda-feira, 1 de março de 2010

Estudo liga infidelidade masculina a QI mais baixo

No fundo, toda mulher sempre soube disso...

"Estudo liga infidelidade masculina a QI mais baixo"

Psicólogo diz que homens que não traem as parceiras são mais inteligentes e 'evoluídos'.

Homens que traem as esposas e namoradas tendem a ter QI mais baixo e ser menos inteligentes, segundo um estudo publicado na revista especializada "Social Pshycology Quartely".

De acordo com o autor do estudo, o especialista em psicologia evolutiva da London School Economics, Satoshi Kanazawa, "homens inteligentes estão mais propensos a valorizar a exclusividade sexual do que homens menos inteligentes".

Kanazawa analisou duas grandes pesquisas americanas, a National Longitudinal Study of Adolescent Health e a General Social Surveys, que mediam atitudes sociais e QI de milhares de adolescentes e adultos.

Ao cruzar os dados das duas pesquisas, o autor concluiu que as pessoas que acreditam na importância da fidelidade sexual para uma relação demonstraram QI mais alto.




É o que eu sempre digo, homem, quanto mais inteligente melhor. Um cara inteligente é interessante, tem bom papo, sempre apresenta soluções para os seus problemas, tem maior chance de ser rico no futuro, e agora é comprovado cientificamente que ele não vai te sacanear e te chifrar com a primeira que passar na frente.

Agora cabe a nós sermos inteligentes na escolha...

Matéria na íntegra aqui.

P.S: Raphael, a exceção que confirma a regra... te amo, cara! (L)