.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Missão dada é missão cumprida! :)

Interrompemos nossa programação para que a autora que vos escreve cumpra a promessa feita a um amigo. Dentro de alguns dias voltaremos com a programação normal.

O CENÁRIO: 269 Praça XV - Curicica, por volta de 23:00 de terça feira, 11 de maio.

OS PERSONAGENS:
Gabi e Raphael, voltando pra casa após mais um dia de labuta.

O OCORRIDO: Gabi comenta com Raphael que seria capaz de fazer um relatório minucioso, levantando todos os seus defeitos e qualidades. Ele não duvida, e ainda a incentiva a postar o documento no seu blog, o überfamoso
Pequena & Genial. Ela adora a ideia!

Mas antes, um breve esclarecimento:
afinal, quem é o Raphael?
E por que ele merece um post só dele aqui nesse pequeno blog?

Raphael Bandeira é mais um rapaz latino-americano, daqueles que não tem dinheiro no banco apesar de trabalhar em um.

É meu amigo, mas às
vezes parece mesmo é um irmão mais velho: me ouve, me dá conselhos, me perturba, acoberta as besteiras que eu faço, implica com os meninos que eu fico e me ama mas não admite isso de jeito nenhum. Talvez ele não mereça sequer meia linha escrita por mim, mas eu sou mulher de palavra.

Além disso, algo me diz que, se ele arrumasse uma fêmea pra cruzar uma namorada, ficaria menos chato, e talvez até criasse juízo de uma vez por todas. Portanto, pequenas solteiras, atenção: apesar de não valer nada, o Raphael é um bom partido. É inteligente e sabe cozinhar. Talvez ele queira me matar após ler esse parágrafo em especial, mas quem se importa com isso, não é mesmo?

Não seria/é/será/foi/sê-lo-ia a primeira vez que eu me prestaria à descrever o indivíduo supra-citado: o perfil dele no Orkut é de minha autoria. Não que eu saiba tanto assim a seu respeito... É que ele possui uma característica bastante peculiar, que é a de fundir os defeitos e as qualidades. Tudo que ele tem de bom, pode voltar-se contra você algum dia. E quanto às coisas ruins, as canalhices, bem... ele simplesmente não seria o Bandeira sem elas. Com o tempo você acaba se acostumando com esse lado presta-pouco dele, e logo logo já tá se divertindo também.

Ele tem cara de filho da puta. Ele tem jeito de filho da puta. Ele tem cheiro, tem voz de filho da puta. Tem papo de filho da puta. Faz coisas que só um grandessíssimo filho da puta faria. Eu só não digo que é um filho da puta por completo porque a mãe dele não merece tal designação, coitada. E também porque eu gosto muito dele. Mesmo sendo assim tão.. tão... filhodaputa!

É vagabundo demais, porém é responsável. Tem classe, mas é um ogro.

Usa perfume, faz a barba, corta o cabelo e trabalha de gravata. Apesar disso, é flamenguista.

Possui um bom coração, mas um péssimo caráter. E adora cachorros.


Interessadas, favor deixar o contato nos comentários :)



*As informações aqui contidas não possuem compromisso algum com a verdade. Qualquer semelhança é mera coincidência. Mãe do Raphael, seu filho é uma excelente pessoa, acredite!

3 comentários: